6 maneiras de ensinar crianças a resolver os próprios conflitos

crianças resolver conflitos
7 minutos para ler

Independência, autoconfiança e resiliência são apenas algumas das habilidades adquiridas por crianças que aprendem a resolver os seus problemas desde cedo. 

Evidente que nenhum pai quer ver seu filho sofrer, mas começar a preparar os pequenos para que possam lidar com os desafios – desde um desentendimento com algum colega até um desconforto maior sobre seus sentimentos – pode ser a chave para a formação de uma criança mais segura, menos impulsiva e com mais propriedade para tomar decisões. 

Mas como encontrar maneiras criativas de ajudar as crianças a se autorregular? 

Que ferramentas utilizar para fazer que consigam expressar corretamente seus sentimentos e desenvolver habilidades de comunicação e tolerância?

Neste artigo, veja 6 maneiras de ensinar crianças a resolver os próprios conflitos e aproveite para conferir como a Anglo Sorocaba trabalha essa temática através do projeto Líder em Mim. 

6 maneiras de resolver os conflitos 

1. Incentive que as crianças reflitam sobre o tamanho do problema

Que tal exercitar com o seu filho a compreensão sobre os diferentes tamanhos de problemas?

Professores da Lister Elementary School em Tacoma, Washington, incentivam que os alunos pensem proporcionalmente sobre suas emoções. 

Eles discutem ativamente os tipos de problemas que enfrentam e também preenchem uma planilha de situações grandes versus pequenas, usando exemplos da vida real. 

Desde não conseguir fazer a lição de casa até um parente estar no hospital. 

Tudo é colocado no centro da discussão a fim de refletir sobre o tipo de reação que cada criança tem ao enfrentar determinado conflito. 

2. Permita que seus filhos cometam erros

Fracassos são acontecimentos extremamente importantes na vida de qualquer pessoa. 

Por isso, em vez de proteger totalmente os filhos, é importante deixar que eles experimentem, errem e, assim, comecem a compreender que a vida também é feita de frustrações. 

Você também pode perguntar a eles o que aprenderam sobre aquela situação e se fariam alguma coisa diferente. 

Importante lembrar que quando as crianças falham e são bem-sucedidas após algumas tentativas, automaticamente criam resiliência. 

E aprendem que nem todas as situações são fáceis de resolver. 

Leia também: Crianças Superprotegidas: Como evitar esse tipo de criação + 5 dicas para desenvolver a autonomia dos filhos 

3. Dialogue sempre 

resolução de conflitos crianças

A comunicação é a base para qualquer relação. 

Por isso, mostre-se aberto(a) para receber o que seus filhos têm a falar e peça que o mesmo aconteça do outro lado. 

Ao conversar com eles, você será capaz de entender seus medos e preocupações e isso ajudará que façam melhores escolhas e decisões à medida que crescem. 

Mostre, também, as diferentes formas de lidar com os problemas e caminhos que podem ser escolhidos para amenizar as consequências de um desentendimento com um coleguinha, uma nota baixa na escola, um descontentamento com o primo, entre outras situações. 

4. Interfira o mínimo possível 

Para que o seu filho aprenda a resolver problemas, é importante que ele tome as decisões sozinho. O ideal, portanto, é que você interfira o mínimo possível no processo. 

O que você deve fazer é apenas instruí-lo. 

O que queremos dizer com isso é que você não precisa entregar uma resposta pronta ou dizer o que ela precisa fazer. 

É justamente nesse momento de conflito que a criança deve encontrar a resposta por si mesma. 

Você deve apenas guiar o pensamento dela, deixando que ela mesma tome a decisão e perceba o que pode ser feito. 

5. Trabalhe desde cedo as soft skills

Comunicação, trabalho em equipe, criatividade, adaptabilidade…. 

Chamadas de soft skills, as habilidades comportamentais estão relacionadas à maneira com que a pessoa lida com o outro e consigo mesmo em diferentes situações. 

Ao aprender essas habilidades, as crianças passam a desenvolver o seu equilíbrio emocional e mais disponibilidade a dialogar para resolver os problemas. 

6. Comemore também o sucesso

como resolver conflitos crianças

Todas as dicas acima são importantes para fazer o seu filho criar mais autonomia na hora de resolver seus conflitos, mas não se esqueça que é fundamental comemorar com ele quando um conflito é resolvido com sucesso. 

Isso vai deixá-lo mais confiante e com a sensação de que seus esforços estão sendo valorizados. 

Líder em mim trabalha a autonomia das crianças 

líder em mim anglo sorocaba

A autonomia é uma habilidade trabalhada desde muito cedo no Anglo Sorocaba. 

Exemplo disso é o projeto Líder em mim, programa focado em promover a mudança comportamental em educadores, crianças e adolescentes. 

A iniciativa tem como objetivo trabalhar a autoestima e o autoconhecimento para que alunos e toda a comunidade escolar se tornem protagonistas de suas próprias vidas e da transformação da sociedade.

Segundo a professora do Ensino Fundamental 1, Adriana Mishima, trata-se de um projeto inspirado no livro  “7 hábitos de pessoas altamente eficazes”, que tem como objetivo criar práticas para as crianças conviverem melhor,  entenderem suas relações e, por consequência, resolverem seus conflitos de forma harmoniosa. 

“Nessa iniciativa, nós criamos a árvore dos 7 hábitos, que mobiliza os pequenos a se apropriar de habilidades como proatividade, colaboração, liderança, trabalho em equipe, entre outros.”

Na visão da professora, ao incentivar a prática desses hábitos, a escola ensina as crianças a resolverem seus conflitos sozinhas e, automaticamente, e trabalharem a autonomia. 

“Os hábitos que a gente ensina através do Líder em mim se dividem entre vida privada e vida pública. Ou seja: como a criança pode resolver determinado problema com ela mesma e com o coleguinha”, complementa. 

Há mais de uma década à frente deste projeto, o Anglo Sorocaba leva muito a sério não só o acompanhamento dos alunos, mas também o treinamento de todos os professores e auxiliares. 

O Anglo também é uma das escolas pioneiras no Brasil a adotar esse programa. 

Hoje o projeto é trabalhado com a Educação Infantil e Ensino Fundamental 1

Posteriormente, no Ensino Fundamental 2, os exercícios seguem sendo repassados de forma indireta, na convivência com os professores e demais funcionários da escola.

Com uma metodologia clara e embasada em  hábitos socioemocionais, os alunos são levados a refletir sobre formas diferentes de enxergar as situações (ver), mudar comportamentos (fazer) e alcançar resultados diferentes e consistentes (obter). 

“Crianças capazes de resolver os próprios conflitos são mais compreensivas com seus colegas, lidam melhor com suas próprias frustrações e desenvolvem maturidade. Tudo isso faz com que eles se tornem mais independentes de seus pais e estejam cada vez mais preparados para o mundo”, finaliza a professora. 

Ao investir tempo e formação para o projeto Líder em Mim, a escola Anglo Sorocaba acredita que ao desenvolver esses hábitos, as crianças terão mais independência e, por consequência, mais senso de proatividade e liderança em suas vidas.

Você também pode gostar

Deixe um comentário